Tipos de Próteses de Silicone

Paciente segura diferentes tipos de próteses de silicone

A mamoplastia de aumento é a cirurgia plástica de maior procura no País, segundo o Censo 2018 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Umas das questões acerca do procedimento refere-se aos tipos de próteses de silicone disponíveis e como escolher entre essas opções.

O mercado oferta diferentes tipos de próteses de silicone, com variação de tamanho, formato, perfil (como ela se projetará nas mamas), texturizadas ou não, entre outras diferenças que tem impacto direto no resultado da cirurgia plástica das mamas.

A decisão relativa ao tamanho e demais peculiaridades é tomada em conjunto ao cirurgião plástico, que levará em conta a característica física da paciente, assim como os anseios em relação ao novo formato das mamas.

A altura da paciente, elasticidade da pele, volume do quadril e o tamanho do tórax são fatores determinantes na escolha entre os diferentes tipos de próteses de silicone disponíveis na atualidade.

Para tornar o entendimento do tema o mais simples possível, veja os tipos de próteses de silicone, com informações cedidas pelo cirurgião plástico Dr. Alexandre Senra.

Conheça os tipos de próteses de silicone

É possível dividir as próteses de silicone em três tipos distintos:

  • Prótese cônica;
  • Prótese redonda;
  • Prótese em gota (anatômica).

Elas são subdivididas ainda em perfis, podendo ser perfil baixo ou moderado — ambos com base maior e menor projeção —, alto e super alto, que são as próteses mamárias mais projetadas. Veja as particularidades de cada um dos tipos de próteses de silicone a seguir.

Prótese cônica

Pacientes que apresentam o tórax mais estreito costumam ter a indicação da prótese cônica quando submetidas a uma mamoplastia de aumento. Ela se projeta mais na região do mamilo, fazendo com que o volume se concentre no centro das mamas. Isso melhora a proporção corporal da paciente e dá um bom resultado a cirurgia plástica de aumento das mamas com silicone.

Prótese redonda

Volume na região do colo evidenciando as mamas, é o que promove a prótese redonda. Esse tipo de prótese de silicone é a mais usada, justamente por evidenciar bem as mamas, deixando-as volumosas e projetadas na parte do colo e do pescoço.

Prótese em gota

Também denominada de prótese anatômica, esse tipo de prótese de silicone é a que mais se assemelha com a mama natural, sendo comumente usada por pacientes que querem um aspecto bem natural no procedimento de aumento das mamas.

Ela também é indicada a pacientes que se submeteram a uma mastectomia (remoção da mama devida à presença de células cancerígenas) e farão a reconstrução.

Tamanho e textura das próteses de silicone

As próteses de silicone também têm tamanhos diferentes. As menores costumam ter 150 ml, podendo chegar a modelos superiores a 600 ml. O tamanho também respeita a “regra do biotipo da mulher”, pois os tipos de próteses de silicone muito grandes têm pouca indicação por parte dos cirurgiões devido ao aspecto nada natural que promovem.

A tecnologia fez com que as próteses ganhassem texturas e composição interna mais rígida (melhor qualidade em relação às próteses salinas), que ao toque promovem efeito o mais natural as mamas. Isso sem falar no menor risco de rompimento da prótese e absorção do organismo dos componentes dessas próteses, com uso de silicone coesivo.

Mas qual tipo de silicone escolher?

A resposta ao questionamento é aquela que atende aos anseios da paciente e que combine com o biotipo dessa mulher. É muito comum as pessoas optarem pelas próteses maiores, de maior volume e com o perfil alto. Entretanto, tal escolha pode resultar em aspecto muito modificado, evidenciando que essa paciente se submeteu a uma plástica nas mamas.

Em anos anteriores os tipos de próteses de silicone mais procurados eram aqueles que deixavam as mamas bem evidenciadas, seguindo o padrão da estrela americana Pamela Anderson. Atualmente, a naturalidade tem ditado o tom. Com certeza o bom senso de seu cirurgião plástico, aliado ao seu desejo, lhe proporcionará um resultado satisfatório.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP);

Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Alexandre Senra.