O que é abdominoplastia em âncora?

Marcações no corpo feminino para realização de abdominoplastia em âncora

A abdominoplastia em âncora é uma cirurgia plástica que promove a melhora do contorno corporal do paciente que passou por um efetivo processo de emagrecimento. Uma das características do procedimento é sua cicatriz, cujo formato se assemelha a uma âncora.

A abdominoplastia em âncora pode ser realizada tanto em homens quanto em mulheres. No entanto, é importante ressaltar que a recomendação deve ser feita somente por um cirurgião plástico qualificado, uma vez que a indicação da dermolipectomia em âncora — termo técnico da cirurgia — depende de cada caso.

Para esclarecer mais o assunto, o cirurgião plástico Dr. Alexandre Senra explica a seguir como a abdominoplastia em Fleur de Lis é realizada, bem como quais são os cuidados antes e depois do procedimento.

Como é feita a cirurgia de abdominoplastia em âncora?

Assim como acontece com a abdominoplastia convencional, a dermolipectomia em âncora tem por objetivo melhorar o aspecto da região do abdome. Contudo, a maneira pela qual o cirurgião atinge esse propósito difere entre uma técnica e outra.

No caso da abdominoplastia em âncora são realizadas duas incisões: uma horizontal na linha abaixo da cintura e outra na vertical em direção ao umbigo até se aproximar da região das mamas. O comprimento das incisões dependerá da necessidade de cada paciente.

A finalidade da incisão horizontal é retirar o excesso de pele na parte inferior do abdome, enquanto a incisão vertical permite que o cirurgião remova a flacidez presente na região medial e lateral.

Geralmente, o tempo de duração da abdominoplastia em Fleur de Lis é deaproximadamente 5 horas. O paciente fica anestesiado durante todo o procedimento.

Quando a dermolipectomia em âncora é indicada?

Conforme dito anteriormente, a indicação da abdominoplastia em âncora só pode ser realizada pelo cirurgião após avaliação feita em consultório. Na consulta, o cirurgião verificará se o paciente está com o peso adequado para o procedimento.

Além disso, o profissional avalia a estabilização do peso do paciente para evitar que o efeito sanfona comprometa o resultado obtido. A estabilização pode ser atingida quando o peso varia cerca de dois quilos em um período de 6 a 12 meses.

Considerando as particularidades e condição clínica de cada paciente, é possível elencar algumas situações nas quais a dermolipectomia em âncora pode ser recomendada. São elas:

  • Quando o paciente realizou a cirurgia para redução do estômago — conhecida como cirurgia bariátrica — e ficou com muita pele na região do abdome;
  • Quando o paciente possui um excesso de flacidez nas regiões centrais e laterais do abdome, gerando uma aparência popularmente chamada de “barriga avental”;
  • Quando o paciente se submeteu a uma perda de peso exagerada, sobretudo após seguir dietas muito rigorosas;
  • Quando a paciente apresenta um acúmulo de flacidez e pele na região abdominal após uma gestação.

É importante salientar que a abdominoplastia em Fleur de Lis não é indicada para os pacientes que desejam apenas emagrecer. Uma visita ao cirurgião plástico pode esclarecer qual é o procedimento mais adequado para cada caso.

Como é a recuperação da abdominoplastia em âncora?

No geral, os cuidados após a cirurgia de abdominoplastia em âncora são similares aos recomendados no pós-operatório da abdominoplastia convencional. Devido à complexidade da cirurgia, pode ser que o paciente tenha de ficar mais tempo em repouso do que o necessário na técnica tradicional.

As recomendações para o pós-operatório da dermolipectomia em âncora são passadas pelo cirurgião que realizou o procedimento. Algumas das indicações feitas pelo cirurgião plástico para ter uma recuperação satisfatória são:

· Não carregar peso e suspender atividades físicas até a liberação médica;

· Realizar pequenas caminhadas no decorrer do dia para evitar o surgimento de trombose;

· Andar curvada nos primeiros dias para evitar a abertura da sutura;

· Manter uma dieta balanceada;

· Usar a malha de compressão recomendada pelo cirurgião.

Além de melhorar significativamente a autoestima do paciente, a abdominoplastia em âncora pode contribuir para a retirada de estrias na região inferior do abdome. Por ser um procedimento altamente individualizado, é fundamental obter a opinião de um cirurgião plástico de confiança para decidir se a cirurgia é o tratamento mais apropriado.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP);

Revista Brasileira de Cirurgia Plástica (RBCP).