Cirurgias Plásticas

Segundo pesquisas realizadas pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), a procura por cirurgias plásticas aumentam ano após ano. De acordo com o último Censo realizado pela entidade, estima-se que apenas no ano de 2018 foram realizadas mais de 1,7 milhões de procedimentos estéticos e reparadores no País.

Corpos femininos depois de cirurgias plásticas

Imagem meramente ilustrativa (Banco de Imagens: Shutterstock)

Dentre esses procedimentos, destacam-se os cirúrgicos — como o aumento de mama, uma das cirurgias plásticas mais procuradas no Brasil e a lipoaspiração — e os não cirúrgicos — que envolvem técnicas como os preenchimentos e aplicação de botox®.

Como funcionam as cirurgias plásticas?

Os procedimentos de uma plástica são diversos, seus objetivos e métodos variam de acordo com as intenções do paciente ao escolher a cirurgia e com os resultados que são possíveis de alcançar, levando em conta as condições físicas apresentadas pelo indivíduo.

Embora uma cirurgia plástica tenha uma funcionalidade específica, é dever do paciente ter o conhecimento de que cada cirurgia apresenta suas individualidades e o resultado, certamente, é influenciado pela fisionomia de cada indivíduo. Portanto, cada procedimento pode apresentar resultantes diferentes em pacientes distintos.

As cirurgias plásticas podem ser separadas em quatro categorias, são elas: estéticas, reparadoras, procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos. Saiba mais sobre cada uma delas a seguir:

Cirurgias estéticas

As cirurgias plásticas estéticas são as mais procuradas pelos pacientes, e visam aumentar a autoestima do indivíduo por meio de intervenções que podem moldar sua fisionomia, reparando condições que trazem incômodos estéticos.

Dentre os procedimentos estéticos possíveis, existem dois métodos que podem ser aplicados, dependendo das necessidades e intenções do paciente. Nos métodos cirúrgicos, o paciente é submetido a incisões e precisa ser anestesiado. As principais cirurgias deste tipo são:

Existem, ainda, os procedimentos estéticos não cirúrgicos, em que o paciente é submetido a tratamentos menos invasivos para resolver algum incômodo estético. As marcas de expressão, por exemplo, podem ser minimizadas por meio da aplicação da toxina botulínica.

Outros procedimentosque são consideradas não cirúrgicos são:

  • Preenchimentos cutâneos;
  • Limpezas de pele a vácuo;
  • Drenagem linfática;
  • Revitalização facial.

Cirurgias reparadoras

Ainda que as cirurgias plásticas reparadoras tenham também uma finalidade estética, elas possuem um objetivo maior. Pacientes que possuem má formação congênita, cicatrizes resultantes de algum procedimento prévio ou acidente, queimaduras, feridas complexas ou excesso de pele estão entre os que podem recorrer aos procedimentos reparadores para obter mais confiança, maior qualidade de vida e, consequentemente, aprimorar sua autoestima.

Entre os principais procedimentos reparadores procurados, destacam-se: a mamoplastia como forma de reconstrução após a mastectomia, e abdominoplastia, removendo o acúmulo de pele após uma perda de peso considerável.

Por que fazer uma cirurgia plástica?

Ainda que uma das principais características que tornam esses procedimentos tão requisitados seja a reconquista da autoestima, no momento que o paciente opta por uma intervenção, é possível também auxiliar na reparação psicológica do paciente.

Entretanto, é necessário que o indivíduo tenha expectativas realistas em relação ao procedimento. Por isso, é fundamental sempre conversar detalhadamente com o cirurgião plástico a respeito da intervenção e todos os cuidados necessários, desde o seu pré-operatório até a recuperação cirúrgica.

A importância do pré e pós-operatório

Fundamental para uma boa performance da cirurgia, o pré-operatório garante que o cirurgião plástico analise todas as condições físicas do paciente, averiguando se ele está apto a realizar o procedimento e se recuperar com segurança. Independentemente da cirurgia escolhida, este é um cuidado essencial para minimizar as possíveis complicações que podem acometer o paciente durante a intervenção.

Mesmo que esse indivíduo se encontre disposto a seguir com as cirurgias plásticas que deseja, é apenas com a avaliação médica, e por meio dos exames, que o cirurgião poderá indicar a possibilidade da realização do procedimento. Por isso, é fundamental que o paciente realize todos os exames solicitados e seja franco em relação a seus hábitos e histórico médico.

Outro ponto fundamental na realização das cirurgias plásticas é o pós-operatório, e o paciente deve estar ciente de todos os cuidados que podem ser necessários após a realização do procedimento. Esses cuidados são fundamentais não apenas para uma melhor recuperação, mas para que o paciente conquiste um bom resultado após a cirurgia escolhida.

Em ambos os casos, o paciente pode ter que suspender alguns hábitos, como o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas, por um determinado tempo. Também pode ser necessário interromper o uso de algum medicamento que pode interferir na cirurgia, recuperação e cicatrização da intervenção.

Por isso, um bom diálogo com o cirurgião escolhido para o procedimento é imprescindível para que seja possível esclarecer com detalhes todas as etapas da cirurgia plástica a ser realizada.

Quanto custa uma cirurgia plástica?

De acordo com as normas do Conselho Federal de Medicina (CFM), o profissional da área médica é proibido de divulgar os valores de um procedimento. Além disso, o paciente deve saber que, ao escolher onde e com quem vai realizar suas cirurgias plásticas, não é recomendado utilizar como critério o preço mais em conta.

Isso porque o valor de uma cirurgia inclui elementos que são fundamentais para a boa execução do procedimento, garantindo o bem-estar do paciente, assim como a sua segurança caso ocorra alguma intercorrência. Isso significa que o preço dos materiais utilizados e da diária hospitalar influenciam diretamente no valor final.

As cirurgias plásticas são procedimentos individualizados, e tanto sua execução como os resultados alcançados, variam de acordo com as características e fatores apresentados por cada paciente. E tudo isso interfere no preço do procedimento.

O ideal é priorizar pela escolha de um bom profissional, que seja, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), que ofereça qualidade no atendimento e tenha experiência no procedimento escolhido. Se você tiver mais dúvidas sobre as cirurgias plásticas, entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Alexandre Senra.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP);

Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Alexandre Senra.