Lipoaspiração

A lipoaspiração é um procedimento cirúrgico no qual os depósitos de gordura são aspirados por meio de cânulas. Trata-se do tipo de gordura que não é possível ser eliminada por meio de dietas e exercícios físicos.

Segundo uma pesquisa elaborada pela International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS), a quantidade de lipoaspiração realizada em 2018 foi 9% maior do que a registrada em 2017. Por mais que esta cirurgia seja cada vez mais requisitada, é importante que o paciente conheça mais sobre o procedimento e suas indicações antes de se submeter à técnica.

Realização de uma lipoaspiração na sala de cirurgia

Imagem meramente ilustrativa (Banco de Imagens: Shutterstock)

Confira abaixo mais detalhes sobre a cirurgia para retirada de gordura com informações cedidas pelo Dr. Alexandre Senra, cirurgião plástico membro titular especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

Quais são os tipos de lipoaspiração?

De acordo com a quantidade de gordura a ser aspirada, o local operado e as expectativas do paciente, o cirurgião pode optar por várias técnicas de lipoaspiração. As principais disponíveis atualmente são:

  • Tradicional: cirurgia realizada com uma cânula para aspirar a gordura desejada;
  • Lipoaspiração a laser: esta técnica utiliza uma fibra ótica em conjunto com uma cânula de aspiração para quebrar as membranas das células de gordura que serão aspiradas;
  • Hidrolipo: voltada para regiões pequenas, nesta técnica o cirurgião usa uma solução anestésica para reduzir o desconforto durante o procedimento;
  • Lipoescultura: procedimento similar à modalidade tradicional, embora seu objetivo seja reinserir a gordura retirada em outras partes do corpo, como nos glúteos, por exemplo;
  • Mini-lipo: técnica parecida com a tradicional, porém, neste caso a região aspirada é menor;
  • Vibrolipo: procedimento no qual a retirada da gordura é realizada por meio de um movimento de vibração.

Como se faz uma lipoaspiração?

Antes de explicar como funciona a cirurgia, é importante esclarecer como a gordura se acumula no organismo: ela fica depositada nas células gordurosas que têm a capacidade de aumentar ou diminuir seu volume de acordo com a quantidade de gordura absorvida em seu interior.

Esse excesso pode ocorrer em várias partes do corpo, uma vez que na maioria das vezes as células gordurosas estão depositadas no tecido subcutâneo, camada mais profunda da pele.

A lipoaspiração, portanto, permite a aspiração dessa gordura em excesso. Com o paciente anestesiado — com a técnica local, peridural ou geral —, são realizadas incisões menores que um centímetro para introdução da cânula ligada ao aparelho de laserlipólise.

Conforme a cânula é movimentada no interior da zona de acúmulo de gordura, essas células são destruídas e depois aspiradas para dentro da cânula, sendo retiradas do tecido subcutâneo. Segundo o cirurgião plástico Dr. Alexandre Senra, o limite seguro de gordura que pode ser retirado é de até 5 a 7% do peso do paciente.

Após esse processo, as incisões são fechadas com suturas, proporcionando um resultado o mais natural possível. Geralmente, a cirurgia dura em média de 45 minutos a 3 horas para ser concluída, dependendo da extensão de gordura a ser retirada.

Quando a lipoaspiração é indicada?

A lipoaspiração é preferencialmente indicada para pacientes com peso relativamente normal, pele de boa elasticidade e boa consistência do tecido celular subcutâneo. As principais regiões que podem se submeter ao procedimento são:

  • Coxas;
  • Costas;
  • Braços;
  • Cintura;
  • Joelhos;
  • Glúteos;
  • Quadris;
  • Pescoço;
  • Nádegas;
  • Abdome;
  • Panturrilhas;
  • Monte de Vênus (púbis);
  • Parte superior do dorso;
  • Ancas (região localização acima dos glúteos);
  • Submento (conhecida popularmente como “papada”).

O cirurgião plástico considera vários fatores antes de definir a técnica e as regiões que precisam passar pela cirurgia de retirada de gordura. Um dos mais importantes é o biotipo do paciente, isso porque a estatura do indivíduo é avaliada minuciosamente para que o cirurgião consiga atender às expectativas do paciente da melhor maneira possível.

Por ser uma técnica que pode ser associada a outras cirurgias, o médico pode realizar a lipoaspiração combinada com uma abdominoplastia, mamoplastia de aumento, entre outros procedimentos. A possibilidade e as vantagens dessa associação são conversadas com o paciente em consultório.

Quais são os cuidados pré-operatórios?

As principais recomendações passadas para o paciente antes da cirurgia para retirada da gordura em excesso são:

  • Suspender o tabagismo durante 2 semanas;
  • Utilizar um sabonete antisséptico 2 dias antes da cirurgia;
  • Estar em jejum por pelo menos 8 horas antes do procedimento;
  • Evitar a ingestão de bebidas alcoólicas nos 15 dias que antecedem a lipoaspiração;
  • Realização dos exames pré-cirúrgicos (hemograma, coagulograma, glicose entre outros dependendo do caso);
  • Suspensão completa dos medicamentos à base de ácido acetil salicílico nos 10 dias que antecedem a cirurgia.

Quais são os cuidados pós-operatórios?

O tempo de internação é de 24 horas, em média, sendo que a maioria dos pacientes recebe alta no mesmo dia. Após a liberação, o paciente deve manter alguns cuidados. Os principais são:

  • Manter repouso relativo durante 2 dias, intercalando períodos em posição deitada e sentada;
  • Usar cinta modeladora por 30 dias para manter a compressão das áreas tratadas e reduzir o edema (inchaço);
  • Tomar os analgésicos recomendados pelo médico quando a região tratada apresentar dor ou algum tipo de desconforto;
  • Não se expor ao sol durante 30 dias, retomando a exposição gradativamente após esse período com a utilização de um filtro solar de alta proteção;
  • Não realizar atividades físicas durante 30 dias, recuperando a rotina de exercícios gradualmente, começando pelos mais leves — como uma caminhada, por exemplo — até os mais pesados conforme liberação médica.

As equimoses (manchas arroxeadas) costumam desaparecer dentro de 2 semanas, sendo que o inchaço pode perdurar por até um mês. Uma forma de acelerar essa etapa da recuperação é por meio da realização da drenagem linfática.

A cicatriz da cirurgia para retirada de gordura fica bastante discreta, localizada em áreas de difícil visualização. Dessa forma, a pessoa conquista um corpo mais escultural, recuperando sua autoestima e autoconfiança.

É importante ressaltar que a lipoaspiração não é um tratamento para a obesidade nem tampouco substitui a prática de hábitos de vida melhores (com uma alimentação balanceada e a realização regular de exercícios físicos). Por isso, é fundamental cuidar da saúde tanto antes quanto depois da técnica, permitindo que os resultados sejam usufruídos por mais tempo. Caso queira saber mais sobre a cirurgia, entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Alexandre Senra.

Fontes:

Clínica de Cirurgia Plástica Dr. Alexandre Senra;

Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP);

International Society of Aesthetic Plastic Surgery (ISAPS).